10 Bilionários Brasileiros da Saúde que Aumentaram suas Fortunas
|

10 Bilionários Brasileiros da Saúde que Aumentaram suas Fortunas na Pandemia

Hospitais, laboratórios, indústria farmacêutica e farmácias, o setor da saúde foi destaque durante a pandemia e elevou a fortuna desses bilionários.

Por
Atualizado em 11/02/2021

Os bilionários da área da saúde são os que mais faturaram durante a pandemia do coronavírus no Brasil e no mundo.

A crise não afetou a fortuna dos mais ricos. De modo geral, a fortuna dos bilionários do mundo aumentou em 2020.

O destaque vai para os bilionários da área da saúde, cuja valorização do patrimônio líquido foi astronomicamente superior.

A pandemia de coronavírus fez novos bilionários e inflou as fortunas daqueles que já faziam parte do grupo.

No Brasil não foi diferente. A média das fortunas dos 53 brasileiros da lista dos mais ricos do mundo saltou de US$ 2,28 bilhões para US$ 3,53 bilhões, uma valorização de 54,82%.

Já o patrimônio líquido médio dos bilionários da área da saúde saiu de US$ 1,64 bilhão em 2020 para US$ 3,85 bilhões em 2021, crescimento de 134,76%, 80% a mais que a média geral.

Nos últimos meses os bilionários brasileiros da saúde vêm se destacando.

Em dezembro de 2020, a Rede D’Or (RDOR3) protagonizou o maior IPO de uma companhia nacional desde 2013, impulsionando o patrimônio de Jorge Moll Filho, cardiologista e fundador da empresa.

Para a família Godoy Bueno, controladora do grupo de diagnósticos clínicos Dasa (DASA3), o cenário também está positivo.

Por conta de sua estratégia de expansão e sua atuação na crise sanitária causada pela pandemia de Covid-19, as ações da companhia dispararam 62,5% no início deste ano.

Com isso, Dulce Pugliese de Godoy Bueno, assumiu o posto de mulher mais rica do Brasil em janeiro de 2021.

Pedro de Godoy Bueno, CEO e herdeiro da Dasa, também se destaca como o jovem mais rico do Brasil e um dos bilionários mais jovens do mundo.

Veja os dez bilionários brasileiros da área da saúde que mais ganharam dinheiro durante a pandemia segundo a Forbes:

1- Jorge Moll Filho

Patrimônio em abril de 2020: US$ 2 bilhões

Fortuna atual: US$ 13 bilhões

Valorização: 550%

Fonte da fortuna: Rede D’Or (RDOR3)

Jorge Moll Filho, de 76 anos, viu sua fortuna disparar após o IPO Rede D’Or, em dezembro de 2020.

O cardiologista e fundador da empresa pulou da 16ª posição do ranking de bilionários brasileiros da Forbes para o 3º lugar.

Agora o top 3 do Brasil está com Jorge Paulo Lemann (1º), Eduardo Saverin (2º) e Jorge Moll Filho (3º).

Como os Milionários Investem? Conheça os 10 Passos para ser um Investidor de Sucesso”.

2- Dulce Pugliese de Godoy Bueno

Patrimônio em abril de 2020: US$ 3,5 bilhões

Fortuna atual: US$ 6,4 bilhões

Valorização: 82,85%

Fonte da fortuna: Grupo Dasa (DASA3)

Dulce Pugliese de Godoy Bueno fundou junto com seu ex-marido, Edson de Godoy Bueno, a rede de assistência médica Amil.

Após a venda da companhia, os dois apostaram na rede de diagnósticos Dasa, a qual controla atualmente 48% das ações.

No início do ano, as ações da empresa saltaram 268% por conta de aquisições e da atuação médica ativa na crise sanitária causada pela pandemia de Covid-19.

Com isso, a fortuna da empresária chegou a US$ 6,4 bilhões, ultrapassando Luiza Helena Trajano como a mulher mais rica do Brasil.

3- Candido Pinheiro Koren de Lima

Patrimônio em abril de 2020: US$ 1,6 bilhão

Fortuna atual: US$ 4,4 bilhões

Valorização: 175%

Fonte da fortuna: Grupo Hapvida  (HAPV3)

Cândido Pinheiro Koren de Lima é um empresário e oncologista brasileiro fundador e  vice-presidente do Grupo Hapvida, a maior operadora de planos de saúde do Nordeste e do Norte.

No início de 2021 as ações da operadora registraram alta após notícia sobre uma possível fusão entre a Hapvida (HAPV3) e a NotreDame (GNDI3).

Como os Milionários Investem? Conheça os 10 Passos para ser um Investidor de Sucesso”.

4- Camilla de Godoy Bueno Grossi

Patrimônio em abril de 2020: US$ 1,1 bilhão

Fortuna atual: US$ 3,3 bilhões

Valorização: 200%

Fonte da fortuna: Grupo Dasa

Camilla de Godoy Bueno Grossi é herdeira do fundador da Amil, Edson de Godoy Bueno.

Após a morte de seu pai, ela e seu irmão, Pedro de Godoy Bueno, se tornaram principais acionistas da Dasa.

A valorização dos papéis da empresa rendeu um aumento de US$ 6,5 bilhões na fortuna da família de Godoy Bueno.

5- Pedro de Godoy Bueno

Patrimônio em abril de 2020: US$ 1,1 bilhão

Fortuna atual: US$ 3,2 bilhões

Valorização: 190%

Fonte da fortuna: Grupo Dasa

Filho de Edson de Godoy Bueno, Pedro assumiu a presidência do grupo de laboratórios DASA em 2015, aos 24 anos de idade.

Foi considerado o CEO mais jovem de uma empresa de capital aberto do Brasil.

Em 2017, ele foi um dos destaques da FORBES Under 30, lista que elenca os jovens brasileiros mais relevantes em seus segmentos.

Em 2018, aos 27 anos, ele se tornou o brasileiro mais jovem a figurar na lista de bilionários da Forbes.

Atualmente, Pedro de Godoy Bueno é o jovem empresário mais rico do Brasil e está entre os dez bilionários mais jovens do mundo.

6- Carlos Sanchez

Patrimônio em abril de 2020: US$ 1,9 bilhão

Fortuna atual: US$ 2,7 bilhões

Valorização: 42,1%

Fonte da fortuna: EMS

Carlos Sanchez é dono e presidente do Grupo NC, conglomerado que tem como área de atuação principal o setor farmacêutico, dentre elas a EMS, empresa fundada por seu pai.

Maior indústria farmacêutica do Brasil, o laboratório EMS foi o primeiro a fabricar medicamentos genéricos. Fato que deu o título de Bilionário dos Genéricos à Carlos.

A empresa cresceu no ano passado mais que o dobro da indústria nacional de medicamentos.

Muito disso se deve à alta demanda de medicamentos por conta da pandemia.

Porém, nem só de genéricos vive a EMS. A empresa farmacêutica hoje investe em tecnologia e direciona o futuro para inovação de produtos.

Como os Milionários Investem? Conheça os 10 Passos para ser um Investidor de Sucesso”.

7- Candido Koren de Lima Junior

Patrimônio em abril de 2020: Fora da lista

Fortuna atual: US$ 2,2 bilhões

Valorização: 83% em relação ao patrimônio de US$ 1,2 bilhão registrado no ranking de 2019.

Fonte da fortuna: Grupo Hapvida

Cândido Koren de Lima Júnior é vice-presidente comercial da Hapvida e filho mais novo do fundador da empresa, Cândido Pinheiro Koren de Lima.

O negócio da família vem crescendo exponencialmente nos últimos anos, por meio do aumento de automatização e modernização dos hospitais e aquisição de concorrentes menores.

8- Jorge Pinheiro Koren de Lima

Patrimônio em abril de 2020: Fora da lista

Fortuna atual: US$ 2,2 bilhões

Valorização: 83% em relação ao patrimônio de US$ 1,2 bilhão registrado no ranking de 2019

Fonte da fortuna: Grupo Hapvida

Jorge Pinheiro Koren de Lima é presidente da Hapvida e filho mais velho do fundador Candido Pinheiro Koren de Lima.

Sob sua gestão, a Hapvida se tornou um dos principais grupos de saúde do Brasil.

A notícia da junção do Hapvida com a Intermédica que fez as ações das duas subirem pode criar um dos maiores players do segmento de saúde com 84 hospitais, 280 clínicas, 284 unidades de diagnósticos.

9- João Alves de Queiroz Filho

Patrimônio em abril de 2020: US$ 1,2 bilhão

Fortuna atual: US$ 2,1 bilhões

Valorização: 75%

Fonte da fortuna: Hypera Pharma (HYPE3)

João Alves de Queiroz Filho é o maior acionista do grupo Hypera Pharma (HYPE3), antiga Hypermarcas, conglomerado que gerencia várias marcas comuns ao dia a dia do brasileiro.

Tais como os adoçantes Zero-Cal, Finn e Adocyl, os medicamentos Apracur, Atroveran, Engov, Estomazil, Maracugina, Melhoral e Merthiolate, além dos dermocosméticos da marca Episol.

Júnior, como é conhecido, é ex-dono da Arisco e da Assolan, e construiu sua fortuna com sucessivas aquisições de concorrentes, transformando a Hypera Pharma em uma das maiores do setor.

Como os Milionários Investem? Conheça os 10 Passos para ser um Investidor de Sucesso”.

10- Samuel Barata

Patrimônio em abril de 2020: US$ 1,1 bilhão

Fortuna atual: US$ 1,5 bilhão

Valorização: 26,66%

Fonte da fortuna: Drogaria Pacheco

Samuel Barata é o sócio majoritário do Grupo DPSP, formado pelas Drogarias Pacheco e São Paulo.

Uma das empresas mais antigas do Brasil, a Drogaria Pacheco foi fundada em 1892 e adquirida pela Barata na década de 1970.

Com a fusão, se torna a segunda maior rede varejista de farmácias do Brasil e sétima maior rede de varejo brasileira no geral.

Segredo da Riqueza

O Que Ler Agora...

Mostrar Mais

PUBLICIDADE